(A)BRAÇOS DE MAR | DAC (DOMÍNIO DE AUTONOMIA CURRICULAR)

0
371

A 16 e 17 de dezembro últimos, o agrupamento de escolas do concelho de Caminha desenvolveu um conjunto de ações e de apresentações que testemunham a sua experiência no domínio da autonomia e flexibilidade curricular.

Alicerçada na articulação e na  incorporação de projetos focados na realidade local, os alunos de todas as unidades escolares do agrupamento mobilizaram recursos, conhecimentos e capacidades para, de forma pública, partilhar as competências desenvolvidas ao longo do 1º período letivo.

Com um plano geral extenso, que integrou atividades nas EB1 do concelho e nas escolas básicas e secundárias de Caminha e Vila Praia de Âncora, por dois dias as escolas estiveram abertas à comunidade oferecendo um registo dinâmico que contribuiu para um encerramento de atividades letivas diferente do habitual.

Do desporto aos debates, das conferências às exposições, das descobertas às partilhas, esta foi igualmente uma oportunidade de promoção da cidadania, incluindo ações de cariz social e de intervenção nos domínios públicos, do que é exemplo os mercados de usados e reciclados ou o acolhimento da Escola Segura para em conjunto se abordar a violência no namoro.

Mas este momento de apresentações e partilha de produtos DAC (Domínio de Autonomia Curricular) criou também a possibilidade de coesão territorial e de aproximação de vales, tendo-se promovido a deslocação de alunos do 2º Ciclo do Ensino Básico entre as escolas sede do agrupamento, em Caminha, e a Escola Básica e Secundária do Vale do Âncora, em Vila Praia de Âncora, garantindo que a identidade dos Vales do Âncora e do Coura Minho se afirma no contacto entre estes alunos, na realidade que os integra numa única unidade orgânica de ensino, o Agrupamento de Escolas concelhio, que promove o ensino básico e secundário e acolhe ainda o ensino articulado da música com a AMFF (Academia de Música Fernandes Fão).

No segundo período letivo está já previsto novo momento de partilha com a comunidade, desta feita com a saída de portas da escola, entrando nas “casas” da comunidade, num contínuo que se prevê terminar no terceiro período nas praças centrais de Caminha e Vila Praia de Âncora. Esta ação resulta da articulação entre instituições e, de forma particular, da Câmara Municipal e Juntas de Freguesia e/ou Uniões de Freguesia, cujo envolvimento consolida saberes e patrocina a realização de muitas atividades.

Neste primeiro período saúda-se ainda, de forma particular, e entre outros, o envolvimento da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários, do NUCEARTES, da COREMA, da Escola Segura, da Assembleia da República e de Domingos Vasconcelos pelo contributo dado na promoção das aprendizagens dos alunos.

Foi com espírito de partilha, fazendo eco na quadra que se vive, que o DAC marcou de forma singular, por dois dias, a escola e a sua comunidade.

JCR | GabCom