Bombeiros Sapadores apetrechados com atrelados de socorro de pessoas e animais no valor de 100 mil euros

Viana do Castelo
0
53

Os Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo receberam, ao longo dos últimos 18 meses, um conjunto de diversos atrelados para socorro a pessoas e animais, num investimento que ascende a 100 mil euros por parte do Município.

A companhia de soldados da paz ficou, assim, apetrechada com uma nova viatura automóvel e com uma Unidade Municipal de Intervenção Meio Aquático, Unidade Municipal de Intervenção Meio Contaminado e Unidade Municipal Salvação e Resgate Animal, que permitem aos Bombeiros Sapadores a atuação em casos de inundações, apoio ao combate a incêndios florestais, ficando ainda munidos com tenda de emergência, equipamento sinalização, equipamento de auxílio animal, entre outros.

A tenda, com 38 metros quadrados, foi adquirida para apoio a situações de emergência, podendo funcionar como Posto de Comando ou para apoio a grandes eventos.

Os Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo, com a designação original de Companhia da Bomba, foram fundados a 22 de março de 1780. São o terceiro mais antigo corpo de bombeiros do país, logo a seguir aos Sapadores de Lisboa e Porto.

Recorde-se que está em construção a ampliação do Centro Municipal de Proteção Civil, num investimento de mais de 880 mil euros que visa dar melhor resposta aos desafios da atualidade no âmbito da Proteção Civil.

A ampliação do edifício está a ser implantada na parte sul do terreno do quartel dos Bombeiros Sapadores, na contiguidade do atual parque de viaturas. Serão nele instaladas diversas componentes, como o Planeamento Municipal de Emergência (englobando a prevenção e avaliação de riscos e vulnerabilidades; o planeamento e apoio às operações de socorro e a logística); Plataformas de concertação (destinadas a reuniões da comissão municipal de proteção civil, da comissão municipal de defesa da floresta; com as juntas de freguesia e com grupos de trabalho de segurança de eventos desportivos e culturais); Ações de Sensibilização e Formação; Áreas Técnicas; e Centro Municipal de Operações de Socorro – CCOM.

Este novo edifício, que se constituirá como frente urbana, desenvolve-se em dois pisos, sendo no piso térreo implantados os espaços de maior contacto com a população, nomeadamente a Secretaria; Comissão Municipal de Proteção Civil; Sala Polivalente de apoio à emergência; Logística; Chefe de Serviço; Serviços técnicos dedicados ao planeamento, prevenção e avaliação de riscos e vulnerabilidade.

No piso superior serão instaladas zonas eminentemente técnicas, como a Central Municipal de Operações de Socorro; Sala de Situação; Gabinete de Comando; Gabinete de Proteção Civil; Camaratas de comando e vestiários.