CAMINHA REGISTA CRESCIMENTO DE 38,2% NO NÚMERO DE PEREGRINOS DO CAMINHO DE SANTIAGO

O ano de 2019 volta a marcar novo máximo no número de peregrinos registados nos Postos de Turismo
0
254

Foram 8.176 os peregrinos do Caminho de Santiago que se registaram nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora no curso de 2019, tendo sido atingido um novo máximo com um crescimento de 38,2% relativamente ao ano anterior. A constância do crescimento dos últimos anos foi mantida e aprofundada, tendo-se registado peregrinos de dezenas de nacionalidades, com destaque para os alemães, que representam 32% de todos os peregrinos, os portugueses, que correspondem a 12,1% do número total e os espanhóis que foram 9,5% do conjunto de peregrinos registados.

 Fecham o top 5 das nacionalidades dos peregrinos os cidadãos de Itália e dos Estados Unidos. Para Miguel Alves, “a notícia tem correspondência com o que vemos nas nossas ruas e nas nossas praças durante todos os meses do ano. Para além da projeção internacional que o Caminho de Santiago está a ter, nos últimos anos, a autarquia e diversas empresas e instituições da região, fizeram um investimento muito forte na divulgação, sinalética e valorização do Caminho Português da Costa numa aposta que está a dar os seus frutos”. Para o presidente da Câmara Municipal de Caminha, “o que impressiona é o crescimento anual, sempre na casa dos 20% ou 30%. Nos últimos 4 anos, o número de peregrinos registados no nosso concelho cresceu 153% e só estamos a falar daqueles que se deslocam aos nossos Postos de Turismo para carimbarem a sua credencial. O trabalho é para continuar e reforçar já em 2021, ano Xacobeo!”

De acordo com os dados recolhidos no concelho de Caminha, o mês com mais peregrinos foi setembro, seguido de maio e de agosto e o mês com menos registados foi o de janeiro. Entre dezenas de nacionalidades que passaram por Caminha destaca-se o crescimento dos cidadãos oriundos do continente americano e a passagem de pessoas oriundas de locais tão remotos ou exóticos como seja o Cazaquistão, a Namíbia, o Líbano ou a Guatemala.