Célia Ramos apresenta em Caminha os seus livros “Destemido” e “A Espada e o Orgulho”

0
618

A Biblioteca Municipal de Caminha vai receber mais uma escritora. No dia 27 de maio, Célia Ramos vai apresentar em Caminha os seus livros “Destemido” e “A Espada e o Orgulho”. A sessão terá lugar pelas 17H00.

Célia Ramos é “apaixonada pela leitura e pela escrita desde sempre, os grandes eventos históricos e os romances clássicos marcaram, sem dúvida, o seu crescimento. Licenciada em Turismo, o gosto pelas viagens, por conhecer novas culturas, pessoas e lugares diferentes e aprender sempre mais são características intrínsecas da sua maneira de ser.”

 “A espada e o Orgulho” foi publicado pela editora Chiado Books em 2016 ena sua sinopse de lê-se: “numa época em que tudo parecia perdido e em que o orgulho e a honra eram as posses que restavam, o imprevisto acontece. Nada na vida de Beatriz será igual. Ela terá que ser forte e manter-se fiel à luta pela independência do reino, 1640 já espreita. Mas irá ela conseguir resistir ao amor?”

Quanto ao livro “Destemido”, publicado em 2022 pela Astrolábio Edições, na sua sinopse lê-se: “Para Camila Corte Real, as inflexíveis regras que orientavam a vida das mulheres no reino de Portugal eram demasiado injustas. Ela considerava um ultraje à sua liberdade as normas que, inevitavelmente, amarravam a uma vida doméstica as donzelas da nobreza, do século XVII. Camila não era como as outras jovens fidalgas. Sentia-se encurralada. Questionava com frequência por que razão não podia embarcar sozinha para o Novo Mundo? Só porque era mulher?! O seu irmão partira, há quase dez anos, em busca de fortuna. Invejava a sua condição e a sua liberdade.

Num dia monótono, igual a tantos outros, chegava ao palacete, em Almada, uma inesperada missiva. A carta vinda do outro lado do Atlântico anunciava que Artur Corte Real, o filho pródigo, regressaria a casa. Chegava o tempo de exaltação…

Artur traria segredos sombrios e mistérios por desvendar. Uma sombra negra iria abater-se sobre todos aqueles que ousavam enfrentar o instituído. Desafiar as boas regras de conduta seria sinónimo de punição e de morte!”.