Investimentos de 4,5 milhões de euros criam mais 125 empregos

Viana do Castelo
0
98

O executivo municipal aprovou dia 16 de setembro a atribuição do benefício de isenção de IMT a duas empresas de Viana do Castelo que vão promover investimentos no valor global de 4,5 milhões de euros e criar 125 novos empregos no concelho.

Assim, foi atribuída a isenção do Imposto Municipal sobre Transações Onerosas de Imóveis à KGS Diamond Portugal, com sede no Parque Empresarial de Lanheses, que no âmbito do seu processo de crescimento e consolidação pretende instalar no concelho uma unidade de produção que permita fixar a produção e negócio na zona de Viana do Castelo.

Para tal, pretende permutar um imóvel situado no Parque Empresarial de Lanheses, perfazendo a área total de aproximadamente 10 mil metros quadrados. Este novo investimento, que rondará os 2,5 milhões de euros, dotará a empresa dos meios necessários para a implementação do projeto, assim como a permuta do referido projeto, pelo valor de 200 mil euros, com a consequente criação de cerca de 75 postos de trabalho.

Já a empresa Lopes & Caldas Engenharia, Lda., situada na União das Freguesias de Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela, tem como objeto social atividades de engenharia técnica, construções metálicas e afins e, no âmbito do processo de crescimento e consolidação, pretende instalar no concelho uma unidade de produção que permita executar novas obras de construção metálica.

Para isso, pretende adquirir um imóvel situado na freguesia de São Romão de Neiva, com uma área total de aproximadamente 8.178 metros quadrados, pelo valor de 800 mil euros. Esta aquisição acontece no âmbito de um investimento previsto de 2 milhões de euros, com a consequente criação de cerca de 50 postos de trabalho.

O Regime de Incentivos de Viana do Castelo prevê reduções e isenções de taxas para investidores de empreendimentos turísticos e acolhimento empresarial, atividades económicas relacionadas com as fileiras da agricultura e floresta de base regional, regeneração urbana e modernização de espaços comerciais e espaços de restauração e bebidas.

As medidas visam assegurar aos investidores mecanismos e políticas impulsionadoras de desenvolvimento em atividades relacionadas com produtos endógenos, reabilitação e imobiliário.

Recorde-se que, desde 2010, a Câmara Municipal implementou um conjunto de medidas, incentivos e programas, como isenções e reduções nas taxas de licenciamento, de IMT, e disponibilização de crédito – em condições mais favoráveis que as disponibilizadas pelo mercado financeiro – através do Finicia e Microcrédito, as quais proporcionam a afirmação e consolidação dos atuais Clusters empresariais, promovem e incrementam condições para a criação de emprego, alargamento do tecido industrial a áreas e setores complementares aos atuais Clusters e reforço da atratividade, competitividade e inovação do território como espaço de localização empresarial qualificada.