Lentes Afinadas

0
95

E depois da água… Vai chegar o IMI…

Como todos já sabemos fomos prendados com aquele aumento da água que foi e continua a ser bastante contestado, muito embora existam algumas razões que nos fazem perceber que este é um mal necessário, pois só assim, desta forma, é que a Câmara Municipal conseguirá resolver alguns dos muitos e graves problemas que vão existindo no Concelho de Caminha. Compreendido por muitos mas muito incompreendido por outros tantos, pelo menos e lá mais para a frente espera-se que esta tenha sido uma boa medida, oxalá que sim…

Mas para aqueles menos atentos, aqueles que por ventura ainda não se tenham apercebido do aumento dos preços da água, preparem-se porque muito brevemente numa caixa de correio perto de si, ou via internet, vão começar a aparecer as contas do IMI, para quem não sabe o Imposto Municipal sobre Imóveis… E lá vamos todos dizer, aqueles que pagam, mas que diferença… Pois é, afinal de contas os erros de governação que por ventura foram existindo na Câmara Municipal de Caminha ao longo dos últimos anos, nomeadamente na anterior gerência política estão agora a dar os seus frutos… E no final das contas quem paga? Pelos vistos vamos pagar todos, porque digo eu, pagam os senhorios e certamente vão pagar também os arrendatários pois acredito que com estes valores de impostos as rendas vão sofrer alguma diferença…

Ainda a Maior Mesa da Páscoa…

Do que referi na última edição do Terra e Mar pouco ou nada haverá a dizer, apenas uma nota de bom grado para a organização que desta vez soube e teve o bom senso de separar o “trigo do joio”, ou seja, o artesanato, ou aquilo qua alguns consideram de artesanato, dos enchidos, vulgos chouriços, alheiras e presuntos… Ficou melhor sem a menor dúvida, de qualquer forma parece-me, e sem querer ofender ninguém, muitos menos participantes e organização poder-se-á melhorar e muito este evento da Praia de Âncora, tornando-o num evento mais característico do espirito da Páscoa, nomeadamente no nosso Alto-Minho, deixando de parecer mais uma “Feira” mais elaborada, uma vez que mais de noventa por cento dos expositores visam apenas e só o lucro, deixando para trás outros valores ainda tão presentes cá pelo nosso burgo. Outro aspecto que gostaria de frisar, e igualmente não tendo nada contra, uma vez que com certeza pagaram à organização os seus “metros da Mesa”, é a presença cada vez maior de “gente” de fora da nossa zona, digo mesmo de fora do Concelho de Caminha, o que provará a minha tese deste evento estar a ser visto cada vez mais como comercial, fugindo de todo aos primeiros objectivos iniciais…

Dito e bem dito na última Assembleia Municipal…

Miguel Alves acabou por anunciar a sua recandidatura à Câmara Municipal de Caminha…

No decorrer da discussão sobre as Contas de Gerência de 2018, Miguel Alves anunciou em Assembleia Municipal que “não tenho outra solução” que não seja ficar na Câmara até resolver os problemas financeiros existentes desde os mandatos do PSD. O actual presidente do Município insistiu que “não descansarei até encontrar soluções” para equilibrar as contas, nomeadamente as dívidas de curto prazo. “Nem para Bruxelas, nem para Lisboa, nem para Viana do Castelo”, assegurou o autarca socialista, em referência às especulações que o davam como candidato em lugar elegível nas listas do seu partido às próximas eleições europeias, ou às legislativas de Outubro ou mesmo à presidência da Câmara Municipal de Viana do Castelo dentro de dois anos e meio.

Miguel Alves disse que “não tenho duas caras”, atendendo a que procedeu recentemente a aumentos substantivos do tarifário da água e dos impostos (sem esquecer as taxas sobre requerimentos e de obras), pelo que considerava uma decisão irreversível a sua manutenção como presidente da Câmara de Caminha, caso volte a vencer no Outono de 2021.

Ora que assim seja e sobretudo que consiga estagnar e resolver os problemas financeiros do Município é o que eu lhe desejo!