NOVOS ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL DISPARARAM EM 2023

Duas dezenas de unidades e uma centena de novas camas entraram no mercado turístico
0
130

O Alojamento Local contribuiu fortemente para o incremento da oferta de camas no concelho em 2023. O número de novos estabelecimentos licenciados no ano passado ultrapassou as duas dezenas, colocando no mercado uma centena de novas camas, que acolheram, seguramente, uma boa parte dos turistas que procuraram o concelho de Caminha, batendo todos os recordes. Todos os indicadores que vão sendo conhecidos apontam para um crescimento contínuo e sustentado do Turismo no concelho, alavancando a economia local. O mês de dezembro fechou também com 361 desempregados inscritos no IEFP – Instituto do Emprego e Formação Profissional, bem longe das mais de 1000 pessoas que se encontravam na mesma situação em dezembro de 2014.      

Os estabelecimentos de alojamento local (AL) “são aqueles que prestam serviços de alojamento temporário, nomeadamente a turistas, mediante remuneração desde que não reúnam os requisitos para serem considerados empreendimentos turísticos”, de acordo com a definição oficial. Segundo os registos do Turismo de Portugal, foram licenciados no concelho de Caminha, em 2023, um total de 21 novos estabelecimentos, entre quartos (dois casos), moradias (6), apartamentos (11) e estabelecimentos de hospedagem (2). No seu conjunto disponibilizam uma centena de camas, distribuídas um pouco por todo o concelho. 

Os registos apontam também para um crescimento extraordinário em relação aos AL licenciados face a 2022 (13), enquanto a oferta de camas cresceu mais de 100% (40 em 2022). 

Olhando para os últimos cinco últimos anos, verifica-se um decréscimo de camas e AL licenciados em 2020 e 2021, anos de pandemia. Em ambos os casos, os valores desceram relativamente a 2019, invertendo a tendência de crescimento, (10 novos AL licenciados e 40 novas camas em 2019). 

Tudo leva a crer que a retoma está aí e em força, ultrapassando os constrangimentos impostos pela pandemia, que no concelho como no mundo em geral, comprometeram o desenvolvimento. Com o ano de 2024 ainda no início, até à data, contabilizam-se já sete novos licenciamentos de AL. A esta tendência corresponde investimento nas unidades, a todos os níveis.

O Turismo, transversal a vários negócios, está a alavancar a economia local, com reflexos também, muito provavelmente, em relação ao número de desempregados inscritos no IEFP, como referimos, 361 em dezembro de 2023, dos quais apenas 15 procuram um novo emprego e 238 estão nessa situação há menos de um ano.

Recorde-se que, de acordo com as estatísticas do INE – Instituto Nacional de Estatística, o número de hóspedes nos estabelecimentos de alojamento turístico em Caminha, em 2023, bateu todos os recordes e foi de 73 508. Entre os 10 concelhos do Alto Minho, apenas Viana do Castelo superou aquele valor, ficando Ponte de Lima atrás de Caminha, com 63 648 hóspedes contabilizados.

No mesmo sentido, os dados do INE revelam que o número de dormidas em estabelecimentos de alojamento turístico no ano passado, no nosso concelho, subiu para 119 507, apenas ultrapassado, entre os 10 municípios do Alto Minho, por Ponte de Lima e Viana do Castelo, municípios de dimensão bastante superior.