Páscoa foi diferente no concelho, mas houve direito aos doces tradicionais

Famílias impossibilitadas de sair puderam receber os doces tradicionais das pastelarias locais
0
138

Este ano no concelho de Caminha o compasso pascal não percorreu os lares das famílias. A pandemia do novo coronavírus e o estado de emergência não permitiram que as tradições fossem cumpridas. Mas o município de Caminha encontrou uma forma de poder alegrar os mais desfavorecidos, os que não puderam sair de casa devido à sua idade ou ao elevado risco que correm. Em conjunto com as pastelarias coordenaram as entregas e fizeram chegar os doces tradicionais a muitos que de outra forma não teriam um mimo de páscoa.

“A Páscoa é por tradição uma época doce. Para que os bons costumes se mantenham e os munícipes possam ter o pão de ló ou os doces tradicionais à sua mesa sem ter de sair à rua, Câmara e pastelarias juntaram-se.

Hoje, as nossas equipas continuaram a levar às famílias as encomendas que vão alegrar o paladar, mesmo das famílias que, pela saúde de todos nós, são este ano mais reduzidas. Ao nosso esforço juntaram-se espontaneamente voluntários”, afirmou o município de Caminha nas redes sociais.