Passadiços na zona do pinhal da gelfa estão intrasitáveis

0
21

A Câmara Municipal de Caminha e a Junta de Freguesia de Âncora com o apoio do ICNF – Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e da Polis Litoral Norte construíram um passadiço na zona dunar, periférica ao Pinhal da Gelfa, entre a zona do Forte do Cão e a Foz do Rio Âncora e, mais o que, à época, a par da requalificação do Pinhal da Gelfa, com a construção de zonas de lazer e circuitos de manutenção, constituiu uma obra de grande relevância.

Mais recentemente, a Câmara de Caminha, através do instrumento “Infraestruturas para valorização e visitação de áreas classificadas no concelho de Caminha” assegurou a ligação da ecovia entre a praia de Moledo e o Pinhal da Gelfa permitindo a ligação ininterrupta da via pedonal e ciclável, entre Moledo e o Pinhal da Gelfa, com ligação até ao Forte do Cão, promovendo ,a mobilidade sustentável e ambientalmente correta, como forma de vivência da orla costeira e a valorização e promoção dos valores naturais e culturais.

Acontece, porém, que estas infraestruturas foram todas inauguradas com pompa e circunstância, como não podia deixar de ser, mas fruto de indefinição da entidade competente pela conservação e manutenção, ou por descuido de quem o deveria fazer, mas não faz, tem-se assistido a uma manifesta a degradação dos passadiços e ao avolumar do perigo de acidente para quem pretende utilizar este bem público.

Impõe-se, pois, que o ICNF – Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, se for o caso, ou a Junta de Freguesia de Âncora, no caso do passadiço que margina o Pinhal da Gelfa ser da sua responsabilidade, ou ainda a Câmara Municipal de Caminha, cuidem de assegurar a manutenção e reparação dos passadiços que, como as fotos documentam, ou estão cobertos de areia, ou com as travessas partidas e cordas danificadas, representando um perigo para quem se predispõe a fazer a travessia. 

Sabe-se que a Câmara de Caminha terá gasto, em 2017, cerca de 10.000 euros, numa intervenção então efetuada, mas, entretanto, a degradação não foi contida. O desgaste do passadiço da Gelfa é grande e, se não forem tomadas medidas urgentes e de fundo, a situação é confrangedora pois, para além de dar uma imagem de desmazelo, revela um perigo para os cidadãos, com consequências imprevisíveis.