Primeira escola construída de raiz para esse fim em Caminha acolhe hoje Núcleo Museológico

0
46

A antiga Escola de Ensino Primário Geral Comendador Ramos Pereira, em Riba de Âncora, esteve em destaque, no dia 5 de outubro, no colóquio sobre “A Escola: passados, realizações e propostas – O concelho de Caminha no contexto regional e nacional“, que decorreu no Valadares, Teatro Municipal de Caminha.
Entre as iniciativas, foi passado um documentário de cerca de 30 minutos, da autoria de Joaquim Diabinho, exibido na parte da tarde e mostrar o passado e presente do património escolar em Riba de Âncora, que foi o primeiro edifício, no concelho de Caminha, a ser construído com a finalidade de escola. Atualmente o edifício tem uma nova vida e pertence à Junta de Freguesia, como era desejo do benfeitor.

A construção do imóvel, numa freguesia do Vale do Âncora, em 1886, foi apenas possível graças à generosidade e visão do Comendador Ramos Pereira, um benemérito que percebeu a importância do Ensino e que assim quis beneficiar a sua comunidade. Durante cerca de um século e meio, o imóvel foi utilizado como escola.

Quando a escola foi desactivada, perdendo a função educativa, não passou para a propriedade da Junta, sem que tivesse havido logo essa perceção. Só muitos anos mais tarde, aquando da avaliação, para efeitos de IMI, a Junta de Freguesia tomou conhecimento, com total surpresa, de que o Estado Português era o titular do edifício da antiga primária, que o Comendador doara de facto à Junta de Freguesia. Perante o conhecimento desta situação, o Município de Caminha procedeu de imediato ao registo da escola em seu nome, ao abrigo do Decreto Lei 7/2003, de 15/01, na sua redação atual, com o intuito de a doar à Junta de Freguesia de Riba de Âncora.

A proposta nesse sentido foi apresentada pelo Presidente da Câmara, Miguel Alves, ao Executivo, em 17 de junho de 2019 e aprovada aí, como a seguir em sede de Assembleia Municipal. No dia da Comunidade Ribancorense, a chave foi simbolicamente entregue ao Presidente da Junta de Freguesia, Paulo Alvarenga.

Cumprida a vontade do Comendador José Ramos Pereira e da população, a verdade é que o edifício sempre foi bem cuidado e acolhe hoje o Núcleo Museológico da Memória, Artes e Ofícios de Riba de Âncora (NUMMAORA), integrando a rede de Museus do Concelho de Caminha.

Como se pode ler ni sítio oficial do Município de Caminha na Internet, ao visitar este espaço “somos convidados a fazer uma viagem no tempo: ao tempo das Salas de Aula do Estado Novo, onde encontramos o crucifixo na parede, o velho quadro de lousa negro, o mapa de Portugal Continental que ensina as províncias, os rios e as serras, a fotografia do chefe de Estado, Oliveira Salazar, as velhas carteiras de madeira com tinteiros, cadernos e sebentas, e a palmatória de madeira que aquecia as mãos a quem não sabia a tabuada na ponta da língua…

Viajamos ao tempo em que, depois da instrução primária, se passava à aprendizagem de uma arte ou um ofício – carpintaria, cantaria, estuque, extração e os trabalhos em granito, elaboração de palmitos, produção do leite destinada às mulheres da freguesia, etc.

Podemos apreciar a arte de trabalhar a madeira através da exposição de artefactos de madeira, como os arados e outras ferramentas, um esmagador de uvas, rodas de carros de bois, torneiras de pipos… e até um esquife de madeira talhado, que se destinava a transportar os defuntos pobres ao cemitério, destinado a dar-lhes um funeral digno, e depois regressava para ser reutilizado”.

O colóquio de amanhã, que acontece no Dia da República e, simultaneamente, Dia Mundial do Professor, é uma iniciativa do Agrupamento de Escolas do Concelho de Caminha, Câmara Municipal de Caminha e Centro de Formação do Vale do Minho.

Destaque especial para as presenças dos professores doutores António Nóvoa e Luís Alberto Marques Alves, reconhecidos investigadores da história da educação portuguesa. José Carlos Loureiro e Paulo Torres Bento, por sua vez, abordarão a perspetiva regional e local da escola e do ensino do Alto Minho e no concelho de Caminha na época contemporânea, e, no final dos trabalhos, ex-alunos das escolas do concelho debaterão em mesa-redonda, moderada por Carlos Carrilho, as suas vivências escolares e o modo como as mesmas influíram nos seus percursos profissionais e de vida.