Quando a ansiedade se torna uma doença

As perturbações da ansiedade estiveram sempre presentes na história da humanidade, tendo agora mais do que nunca uma grande prevalência em todo o mundo.
0
767

A ansiedade é um sentimento de preocupação, nervosismo ou medo em relação a um evento ou situação. É uma resposta normal a eventos de stress, como uma mudança de emprego, ter de tomar uma decisão importante, ter de fazer um exame ou por exemplo, ter problemas financeiros. Esta ansiedade “normal” pode dar um impulso de energia, aumentar a concentração e ajudar a enfrentar uma situação, mas para as pessoas com ansiedade patológica o medo não é uma questão momentânea e pode-se tornar assustador.

Então quando é que a ansiedade “normal” se transforma numa ansiedade patológica (perturbação de ansiedade), que afeta as pessoas de tal forma que muitas se sentem incapazes, como se estivessem “paralisadas”, não conseguindo fazer as suas tarefas diárias, como trabalhar e muitas vezes mesmo as tarefas mais simples do dia-a-dia?

Esta ansiedade patológica desenvolve-se quando a resposta natural às ameaças ou à incerteza se torna demasiado intensa ou frequente. Os sintomas de ansiedade tornam-se mais significativos ou desproporcionais aos eventos que os desencadearam e começam a interferir com a vida diária.

É como se “o corpo estivesse em alerta constante, preparado para uma luta ou fuga, sem existir uma ameaça real”.

Os sintomas comuns de uma perturbação de ansiedade são a preocupação excessiva, agitação/inquietação, dificuldade de concentração, irritabilidade, sensação de tontura, desequilíbrio, cabeça vazia ou de desmaio, palpitações, batimentos cardíacos acelerados, dor no peito, suores, tremores, boca seca, fadiga, tensão muscular, enjoo, vómitos, enfartamento ou mal-estar abdominal, sensação de falta de ar, formigueiro nos braços ou cara, dor de cabeça, dificuldade em dormir.

As pessoas com perturbação de ansiedade podem ter ataques de pânico, estes podem começar de forma repentina e em qualquer lugar, são muito incapacitantes, uma vez que produzem uma sensação de medo ou desconforto intensos, associada a quatro ou mais dos sintomas anteriormente descritos e estão habitualmente associados ao medo de perder o controlo ou de morte.

A ansiedade patológica é muito incapacitante, mas tem tratamento, pelo que se uma pessoa se sente ansiosa a maioria dos dias e tem um ou mais dos sintomas anteriores durante um período prolongado de tempo ou independente da duração dos sintomas, sente que as suas emoções interferem com a sua qualidade de vida, deve procurar ajuda profissional especializada.

Os tratamentos medicamentosos e a psicoterapia aliados a mudanças no estilo de vida (como por exemplo o exercício físico, alimentação, higiene do sono) podem restabelecer o bem-estar psíquico e físico e melhorar de forma muito significativa a qualidade de vida, o conforto emocional e o desempenho diária.

Fonte: Trofa Saúde | Autora: Dra. Maria Lima Peixoto (Psiquiatria)