Tiago Brandão Rodrigues convencido que não haverá prospeção e pesquisa de lítio na Serra d’Arga

Tiago Brandão Rodrigues convencido que não haverá prospeção e pesquisa de lítio na Serra d'Arga
0
886

Candidato socialista foi a São Lourenço da Montaria reunir com autarcas e a associação ambientalista Corema.

O cabeça de lista do Partido Socialista pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo, esteve em São Lourenço da Montaria, concelho de Viana do Castelo, onde reuniu com vários autarcas de freguesia da área envolvente da Serra d’Arga e com dirigentes da Corema – Associação de Defesa do Património. Tiago Brandão Rodrigues, que se fez acompanhar dos candidatos Marina Gonçalves, José Maria Costa e Elizabete Rodrigues, teve ao seu lado Luís Nobre e Miguel Alves, presidentes de Câmara de Viana do Castelo e Caminha, respetivamente.

No encontro informal que decorreu no largo central da Montaria, Brandão Rodrigues fez questão de lembrar vários episódios de infância e juventude passados na Serra d’Arga. O socialista sublinhou que a Serra d’Arga nem sempre foi valorizada pelos poderes públicos e pelas pessoas do modo como acontece agora e “isso deve-se, em grande parte, ao trabalho articulado que os Municípios, Freguesias e associações ligadas à cultura, desporto e ambiente têm feito com a população local”. O líder da candidatura rosa não fugiu, no entanto, a um dos temas do momento.

“Quero ser muito claro: olhando para o Relatório de Avaliação Ambiental Preliminar, tendo estudado os diferentes pareceres das autarquias do Alto Minho e de alguns especialistas, conhecendo bem a Serra d’Arga e os concelhos abrangidos pela possível pesquisa e prospeção de lítio, não vejo como pode ser possível pesquisar ou explorar lítio na nossa região” afirmou o courense. Perante o interesse dos autarcas e dos ambientalistas, Tiago Brandão Rodrigues não deixou margem para dúvidas, considerando que “pessoalmente, entendo que o potencial da exploração de lítio na Serra d’Arga é consideravelmente inferior ao valor natural – e até económico  – da biodiversidade que comprovadamente existe, ao valor da paisagem, da vivência comunitária, à valia turística do território e ao peso da cultura e das tradições associadas à região”.

O candidato do PS reconheceu que a decisão que se segue sobre esta matéria não é sua, nem é do Governo que sair das próximas eleições, mas não hesitou ao afirmar que “se a Direção Geral de Energia e Geologia fizer um raciocínio semelhante ao meu, certamente que não haverá pesquisa, prospeção e exploração de lítio no Alto Minho. É esta a minha profunda convicção”.A comitiva socialista esteve durante o dia de ontem pelo concelho de Vila Nova de Cerveira onde visitou várias instituições. À noite teve lugar mais uma sessão do Fórum 100% Alto Minho, subordinada ao tema “A Cultura como instrumento de centralidade transfronteiriça”, que contou com a participação do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e as intervenções de Sandra Gonzalez, Alcaldesa de Tomiño, Helena Pereira, Diretora Artística da Bienal de Cerveira e António Torres do Secretariado Técnico do Agrupamento Europeu de Cooperação Transfronteiriço do Rio Minho.

Mais notícias