Viana do Castelo: Feira do Livro assinala 40 anos de forma digital

A Feira do Livro vai disponibilizar uma plataforma digital para venda de edições e publicações municipais e ainda tertúlias/webinares
0
140

A 40ª edição da Feira do Livro de Viana do Castelo decorrerá em moldes diferentes do habitual, utilizando os meios digitais para a promoção do livro e da leitura, e fazendo uma evocação a Rúben A., autor que se encontra sepultado na freguesia de Carreço, onde construíra casa, e cujo centenário do nascimento se assinala em 2020.

Por recomendação da Direção Geral da Saúde (DGS) e por não existirem condições para garantir o distanciamento social e a desinfeção dos espaços, não garantindo assim as necessárias condições de segurança em contexto de pandemia, a 40ª edição da Feira do Livro não terá pavilhões livreiros como tradicionalmente.

Nesta edição, decorrerão vários momentos, como a apresentação de edições, que vão acontecer em conformidade com as regras na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo. A Feira do Livro vai disponibilizar uma plataforma digital para venda de edições e publicações municipais e ainda tertúlias/webinares sobre vários temas associados à promoção do livro e da leitura.

Na Feira do Livro haverá também um espaço dedicado à promoção dos jovens talentos autores, com a apresentação de uma publicação com os premiados dos últimos cinco anos do Prémio Escolar António Manuel Couto Viana, pretendendo-se assim promover o conhecimento dos autores vianenses, estimular o gosto pela escrita e pela leitura e divulgar os jovens talentos.

Escritor e ensaísta, sob o pseudónimo Ruben A., Ruben Alfredo Andresen Leitão nasceu em Lisboa em 1920 e faleceu em Londres em 1975. Estreou-se, em 1949, com Páginas, um misto de diário e de ficção. Seguiram-se o romance Caranguejo (1954) que marcou pela sua narrativa desconstrutiva e A Torre da Barbela (1965), obra que aposta na caricatura da psicologia portuguesa e que é um dos seus maiores sucessos. A sua atividade literária na década de 60 ficou marcada pela edição de três volumes autobiográficos, O Mundo à Minha Procura. Em 1973, publicou a sua última obra, a novela Silêncio para 4.

Ruben A. foi também professor no King’s College, em Londres, e funcionário da Embaixada do Brasil em Lisboa durante quase 20 anos, cargo que deixou em 1972. Depois dessa data foi administrador da Imprensa Nacional-Casa da Moeda e diretor-geral dos Assuntos Culturais do Ministério da Educação e Cultura.

O Município de Viana do Castelo espera, em 2021, poder retomar a habitual Feira do Livro no Jardim Público, bem como o programa de animação associado.