2.º Congresso Internacional de Comunicação e Marketing em Cuidados Paliativos

Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos
0
99

“O Autocuidado e Humanização na Arte de CuiDar” será o tema deste Congresso Internacional, que contará com a presença de Marta Temido, Maria de Belém e Assunção Cristas.

Porto, 20 de outubro de 2021 – A Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) organiza, no próximo dia 22 de outubro, o 2º Congresso Internacional de Comunicação e Marketing em Cuidados Paliativos, no Instituto. S. João de Deus, em Lisboa.

Com a consciência da urgência no desenvolvimento dos Cuidados Paliativos no país, o grande objetivo deste congresso passa pela priorização e valorização dos cuidados paliativos, contribuindo para os colocar na ordem do dia e na agenda política.

Por esse motivo estão convidados a estarem presentes neste evento todos os profissionais de saúde, docentes e investigadores em Cuidados Paliativos, mas também decisores e responsáveis na saúde. A sessão de abertura conta com a presenta da ministra da Saúde, Marta Temido.

A APCP conta também com presença de Maria de Belém Roseira (Ministra da Saúde entre 1995 e 1999), Assunção Cristas (Presidente do CDS-PP entre 2016 e 2020 e Ministra da Agricultura e do Mar entre 2011 e 2015) e Catarina Pazes (Presidente da APCP), numa sessão moderada por Eunice Lourenço (Rádio Renascença).

O Congresso conta, ainda, com a importante participação de vários profissionais especialistas na área, nacionais e internacionais, para abordar temas como a humanização em saúde, a promoção do autocuidado das equipas e os desafios colocados pela pandemia.

Este congresso realiza-se no mês dos Cuidados Paliativos, na sequência da campanha de sensibilização promovida pela APCP ao longo de todo o mês, sob o mote “Porque Todos Importam”.

Segundo Catarina Pazes, Presidente da Direcção da APCP, este congresso representa uma importante oportunidade de partilha entre os profissionais que se dedicam a esta área clinica e também de discutir a estratégia para tornar clara para todos a urgência nacional de um acesso equitativo a Cuidados Paliativos.