Cerveira – Piscina Municipal reabre a 10 de maio só para banhos livres

0
83

Mais de um ano após o encerramento provocado pela Covid-19, a Piscina Municipal de Vila Nova de Cerveira reabre na próxima segunda-feira, 10 de maio, com horário alargado e exclusivamente para banhos livres, mediante inscrição prévia por telefone (251 708 025).

Desde o início desta pandemia, o Município de Vila Nova de Cerveira tem adotado uma postura proativa, com a implementação de um conjunto de medidas de prevenção e contenção que garantam a salvaguarda dos colaboradores e de todos os munícipes ou visitantes que frequentem os espaços municipais públicos.

O processo de reabertura, ainda que restrito, da Piscina Municipal respeita um conjunto de regras emanadas das orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS), da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), de forma a ser um local seguro para os seus utilizadores e os profissionais.

À desinfeção dos complexos, à definição de circuitos adequados e aos procedimentos de higienização e distanciamento social, nesta primeira fase, apenas são permitidos banhos livres com uma duração máxima de 40 minutos e uma ocupação máxima de um utente por pista (no total de sete pistas). Entre algumas das regras mais específicas, passa a ser proibida a utilização de material de auxílio ao nado e a ser obrigatório a marcação prévia através do número 251 708 025, estando limitadas às vagas existentes e a duas sessões por utilizador por semana.

O horário de funcionamento da Piscina Municipal também vai ser alargado, de forma a proporcionar a usufruição do banho livre a mais pessoas, dadas as limitações de espaço. A atividade poder ser praticada de segunda a sexta-feira, entre as 08h05 e as 12h40, e da parte de tarde das 16h05 às 20h40.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, os métodos convencionais de tratamento de água que usam filtragem e desinfeção de cloro são capazes de inativar o novo Coronavírus (SARS-CoV-2). Em termos gerais, o problema das piscinas de utilização público está relacionado com os próprios espaços secos e húmidos, que proporcionam a proximidade física entre cidadãos, nomeadamente os balneários, cais, bancada e receção como espaços onde poderá existir um maior risco de contaminação.