Homenagem a Francisco Sampaio enquanto “missionário ao serviço de uma região”

Entidade de Turismo do Porto e Norte e Município de Viana do Castelo
0
53

A Entidade de Turismo do Porto e Norte (ETPN) e a Câmara Municipal de Viana do Castelo uniram-se ontem para prestar homenagem a Francisco Sampaio. Durante a cerimónia, o Centro de Congressos situado no Castelo Santiago da Barra passou a assumir a designação Centro de Congressos Francisco Sampaio, num momento que contou com a presença do Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte.

O Presidente da Câmara Municipal, José Maria Costa, indicou que Francisco Sampaio foi, durante a vida ativa, “uma referência como investigador, como homem da cultura, como amigo e como alguém que esteve sempre irrequieto no seu tempo”.

O edil vianense considerou que o homenageado foi “um comunicador nato, um homem que vibrava com o turismo” e que apresentava “uma capacidade de relacionamento que chegava além-fronteiras, destacando-se de forma muito particular a relação que tinha com a vizinha Galiza”. Por isso, José Maria Costa reconheceu que Francisco Sampaio foi “um missionário ao serviço de uma região”.

O Presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, Luís Pedro Martins, considerou que “os inúmeros contributos” de Francisco Sampaio para a promoção e para o desenvolvimento do Alto Minho justificam “em pleno” todas as homenagens que possam ser promovidas ao Senhor Turismo.

“Ter dado o melhor de si e servir hoje como referência para todos aqueles que trabalham e querem trabalhar neste setor do Turismo justifica o facto de o Centro de Congressos honrosamente passar a chamar-se Centro de Congressos Francisco Sampaio”, frisou.

Já o Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), António Cunha, recordou o homem “histórico, festivo, sempre atento aos pormenores nos cortejos”, com um passado e uma obra “muito ligados à criação do destino turístico Alto Minho”.

Francisco José Torres Sampaio nasceu em Santa Maria Maior, Barcelos, a 7 de Junho de 1937, e residiu em Afife, durante a infância e juventude. É licenciado em Ciências Históricas pela Faculdade de Letras de Universidade do Porto, e tem uma Pós-Graduação em Programa de Direção de Empresas, pelo Instituto de Estudos Superiores da Empresa.

Exerceu funções docentes no Ensino Secundário, no Instituto Superior de Turismo e Empresas, foi membro da Comissão Instaladora da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, onde foi Professor Coordenador da ESTG e Coordenador do Curso Superior em Turismo, tendo ainda sido Presidente do Conselho Pedagógico entre 1993 e 2000.

Após ter sido Presidente da Junta de Turismo de Vila Praia de Âncora de 1973 a 1979, e já antevendo a importância do Destino Turístico Alto Minho, participou no processo de constituição da Região de Turismo do Alto Minho, onde foi Presidente entre 1980 e 2009.

Foi Juiz da Confraria dos Gastrónomos do Minho entre 1984 e 2012, tendo, neste âmbito sido responsável pela organização de uma quinzena de Congressos de Gastronomia e assumiu a publicação de diversas obras no âmbito da Gastronomia e Vinhos, Produto Turístico reconhecido em 2007 muito pelo trabalho que desenvolveu, seja como docente, seja como Presidente da Região de Turismo. Lançou cerca de 50 livros e centenas de pequenas publicações em jornais e revistas, para além da participação em revistas e brochuras, nacionais e estrangeiras.

Foi ainda responsável pelas Festas da Senhora da Agonia durante 40 anos, hoje evento declarado de Interesse Turístico, bem como desenvolveu idêntico trabalho nas Festas da Senhora da Bonança, em Vila Praia de Âncora.

É condecorado com a Medalha de Mérito Turístico – Grau Prata, da Secretaria de Estado do Turismo, em 1996; Medalha de Ouro – ao Mérito Turístico – Comércio de Pontevedra 2000; Medalha de Honra – Grau Prata – Junta da Galiza, em 2003; e Cidadão de Mérito – Câmara Municipal de Viana do Castelo, em 2004; Medalha de Mérito Turístico – Grau Ouro, da Secretaria de Estado de Turismo, em 2005; Medalha da Academia Portuguesa de Gastronomia 2007.